Postalis discute migração de plano BD para CD

O Postalis, fundo de pensão dos funcionários dos Correios, após ter aprovado em meados de julho uma proposta de equacionamento de déficit para o plano de benefício definido saldado, no valor de R$ 7 bilhões, já começa a discutir internamente uma nova proposta para migração dos participantes desse plano para um outro de contribuição definida (CD). Segundo o diretor de gestão previdenciária da fundação, Carlos Alberto Zachert, a proposta já está sendo apresentada a várias associações que representam os participantes.

De acordo com Zachert, o equacionamento de déficit do BD saldado será implantado até o final deste ano, com aportes de participantes e patrocinadora, na proporção de 50% cada lado como determina a lei. A proposta, aprovada no Conselho Deliberativo da entidade, ainda deve ser chancelada pelos Correios, pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST) e pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

A próxima etapa será a implantação do CD, com contribuição de até 8,5% pelo lado do participante e aportes na mesma proporção, de até 8,5%, por parte da patrocinadora. “Fizemos pesquisas com outras fundações que realizaram movimentos semelhantes e, com base nessas pesquisas, acreditamos que a proposta terá boa aceitação entre os participantes”, explica Zachert. Segundo ele, no plano CD o participante ficará livre do risco de novos déficits, além de poder resgatar tanto as reservas próprias quanto a dos patrocinadores e de contar com o benefício fiscal nos aportes extraordinários, algo que não existe no BD.

Fonte: Investidor Institucional