CPI dos fundos de pensão

previdencia-privada-dicas-para-escolherA comissão parlamentar de inquérito (CPI) destinada a investigar irregularidades nos fundos de pensão foi oficialmente criada pelo Senado Federal. O pedido foi lido na última quarta-feira, 6 de maio, em plenário e até a meia-noite não foi objeto de nenhum pedido de retirada de assinatura. O pedido foi protocolado por Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), Ana Amélia (PP-RS) e pelo líder do PSDB, Cássio Cunha Lima, e teve o apoio de 27 senadores, número mínimo (um terço do Senado) exigido para aprovação da proposta.

Houve outra tentativa recente de criação da CPI dos fundos de pensão, no início de abril, mas que não teve êxito devido à retirada de assinaturas por parte da bancada do PSB. Agora a oposição conseguiu recolher as assinaturas que faltavam para avançar com a implantação da comissão.

O objetivo da CPI será averiguar problemas e prejuízos causados nos fundos de pensão por conta de má administração de seus recursos financeiros a partir de 2003. A CPI terá 11 integrantes e suas investigações devem ser voltadas aos fundos de pensão das estatais, entre eles, Petros, Postalis e Previ.

Ainda nesta quinta-feira, 7 de maio, o presidente do Senado, Renan Calheiros, deve enviar ofício para as lideranças partidárias pedindo que indicações dos nomes que integrarão a CPI. Caso os líderes não indiquem em até cinco dias seus representantes para o colegiado, caberá à presidência do Senado fazer as indicações.

Com informações da Agência Senado.