COVID-19 gera grande investimento em tecnologia

A crise do COVID-19 desencadeou um dos maiores surtos globais de investimento em tecnologia já visto, de acordo com pesquisa publicada pela KPMG.

Depois de pesquisar mais de 4.200 líderes de TI e analisar as respostas de organizações com um gasto combinado de tecnologia de mais de US$ 250 bilhões (£ 196 bilhões), a KPMG descobriu que as empresas gastaram cerca de US$ 15 bilhões extras por semana em tecnologia para permitir o trabalho doméstico seguro durante o pandemia.

As descobertas também mostram que a segurança cibernética é agora a maior demanda no mundo (é a primeira vez que uma demanda relacionada à segurança cibernética lidera essa lista) em mais de uma década.

Quatro em cada dez líderes de TI disseram que suas empresas experimentaram um aumento nos ataques cibernéticos durante a pandemia, mais de três quartos relativos a phishing e quase dois terços a malware, sugerindo que a mudança maciça para o trabalho doméstico aumentou a exposição cibernética dos funcionários.

“Embora cada chief information officer esteja respondendo a essas forças de maneira diferente, uma coisa permanece consistente; a urgência de agir com rapidez e precisão”, disse Steve Bates, diretor da KPMG nos Estados Unidos. “A tecnologia nunca foi tão importante para a capacidade das organizações de sobreviver e prosperar.”

As pesquisas também mostram que os líderes mundiais de TI gastaram mais do que o total de seu orçamento anual em apenas três meses neste ano, conforme a crise global chegou e os bloqueios começaram a ser aplicados.

No entanto, embora o investimento em tecnologia tenha aumentado dramaticamente durante a pandemia, a pesquisa descobriu que menos líderes de TI esperam um aumento no orçamento nos próximos 12 meses do que anteriormente à crise.

Quase nove em cada dez mudaram uma parte significativa de sua força de trabalho para o home office e 43% esperam que mais da metade de seus funcionários trabalhe em casa após a pandemia.

“Este aumento inesperado e não planejado no investimento em tecnologia também foi acompanhado por mudanças massivas na forma como as organizações operam – com mais mudanças organizacionais nos últimos seis meses do que vimos nos últimos 10 anos”, disse Bev White, CEO da Harvey Nash Grupo, que co-produziu a pesquisa. “O sucesso será em grande parte sobre como as organizações lidam com sua cultura e se envolvem com seu pessoal.”

Fonte: The Actuary

Tradução Livre ASSISTANTS