Com previsão de inflação médica de 19%, empregadores rebaixam planos

inflação

A inflação dos custos da saúde no país deverá chegar a 18,6% até o fim deste ano. O aumento tem levado companhias brasileiras a rebaixar os planos de funcionários, afirma Renato Cassinelli, diretor para América Latina e Caribe da consultoria Mercer Marsh. “As empresas têm resistido a tomar essa medida, mas, com a crise econômica e a alta dos custos médicos, não há alternativa. Esse movimento deverá continuar ao longo do próximo ano.”

A alta da inflação médica, decorrente de fatores como o envelhecimento da população e os avanços tecnológicos, é um problema mundial: em média, a taxa é três vezes maior que a geral da economia dos países. “Mesmo na Europa, onde o mercado é mais maduro, o descolamento é grande.” No Brasil, o aumento deverá ser mais que o dobro do IPCA (inflação oficial). A previsão mais recente do Boletim Focus para este ano é de 7%.

Em comparação com outros países da América Latina, o Brasil tem a segunda maior alta prevista, atrás apenas da Argentina. A pesquisa ouviu 180 seguradoras em 49 países.

 

inflacao

Fonte: Folha de S. Paulo