Previdência do funcionalismo tem déficit de R$36,5 bi

deficit_fiscalMesmo com as mudanças implementadas, o déficit da previdência dos servidores públicos federais continuará alto e pressionando as contas públicas no curto prazo. Somente no primeiro semestre, o resultado foi negativo em R$ 36,509 bilhões, avanço de 8,6% ante mesmo período de 2014, segundo Relatório Resumido da Execução Orçamentária, divulgado recentemente pelo Tesouro Nacional. A estimativa de déficit para o fim do ano é de R$ 65,720 bilhões.

Em 2014, esse resultado negativo foi de R$ 63,256 bilhões. A expectativa do governo é de que esse déficit seja reduzido no longo prazo devido à criação da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp) em 2013. Desde então, os servidores públicos federais estão sujeitos ao mesmo teto de aposentadoria do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), é de R$ 4.663,75. Se quiserem receber um valor maior, os funcionários precisam fazer contribuição para previdência complementar.

“A Funpresp assegura a solvência do regime próprio da União”, afirmou o diretor-­presidente da fundação, Ricardo Pena. Até 2032, o governo terá um custo adicional de transição e, depois disso, a tendência é de redução do déficit do regime próprio. O déficit da previdência dos servidores é alvo de críticas pois atende apenas cerca de 1 milhão de pessoas. Já o INSS tem resultado negativo de R$ 33,739 bilhões no semestre, mas contempla cerca de 23 milhões beneficiários.